NordStream Kaput!

Dmitry Orlov

Dmitry Orlov


A casa de força europeia que é a economia alemã está agora destruída


A grande notícia do dia é Biden ter explodido 3 dos 4 gasodutos que não estavam fornecendo gás natural russo para a Alemanha. Biden fez exactamente o que prometeu e no momento não vejo razão para duvidar dele, já que há muitas evidências indirectas apontam para o envolvimento dos EUA no acto: navios da USN navegando pela área, provavelmente plantando minas nas tubulações e partindo pouco antes das explosões. Nós precisamos esperar que a Casa Branca culpe a Rússia pelo incidente; isso seria como um marcador adicional de culpabilidade. (É sempre o ladrão que grita mais alto “Apanhe o ladrão!”). Mas eu não sou nem o juiz, nem o júri sobre isso, então tanto faz.

Os militares suecos mostraram novas filmagens do vazamento em larga escala dos gasoduto Nord Stream após a sabotagem

Há apenas algumas coisas importantes para entender a morte prematura do NordStream.

1. A casa de força europeia que é a economia alemã está agora destruída. Todo o milagre económico alemão foi baseado na disponibilidade de um fornecimento constante de gás natural barato da Rússia; sem ele, a indústria alemã está fechando, despedindo centenas de milhares de trabalhadores e olhando para um nível de angústia e agitação pública não visto desde os dias da República de Weimar. Uma vez que a economia alemã tem sido a locomotiva que puxava grande parte do resto da União Europeia, o desaparecimento do Nord Stream também é uma má notícia espectacular para o resto da UE. Os europeus estão agora enfrentando uma tarefa formidável: reprogramar os cérebros uns dos outros para entender que a América não é sua amiga, mas sua inimiga.

2. O argumento económico de que os EUA podem se assumir como grande fornecedor de gás natural para a Europa, enviando gás natural liquefeito produzido através de fracturamento hidráulico, é estritamente para idiotas. A indústria de fracturamento hidráulico nos Estados Unidos foi possibilitada fundamentalmente pelo acesso a financiamento muito barato e dinheiro quase gratuito de flexibilização quantitativa.

O fracturamento hidráulico é extremamente intensivo em capital, exigindo um investimento constante e maciço em equipamentos de perfuração, bombas, explosivos, água, areia, fluido de fracturação e transporte. Ao contrário dos poços convencionais de petróleo e gás, os poços fracturados têm uma vida extremamente curta, com a produção de um determinado poço caindo dois dígitos por ano. Agora que a inflação nos EUA está se aproximando de um território de dois dígitos e o dinheiro se está tornando caro em vez de gratuito, o ritmo de exploração tem diminuído. Em resumo, os EUA logo enfrentarão uma escassez ao invés de um excedente de gás natural, e não poderão sustentar, muito menos expandir, suas exportações de GNL. Acrescente a isto o facto de que a exploração agora está se concentrando na Bacia do Pérmico, onde ainda há poços produtivos a serem encontrados, muito do resto do território disponível já foi explorado; assim, não há razão para esperar que o fracturamento hidráulico nos EUA volte a crescer, mesmo que o dinheiro se torne livre mais uma vez. Acrescente a isto o fato de não ter a capacidade industrial ou a capacidade de transporte para fazê-lo. A ideia de que este ataque terrorista aos oleodutos é parte de um esforço de concorrência desleal simplesmente não tem força.

3. Alguns pensadores profundos expressaram a ideia de que tudo isso é parte de um plano mestre para forçar o capital e a indústria europeus a se mudarem para os EUA, onde a energia ainda é um pouco abundante. Há apenas um pequeno punhado de problemas com este plano. Primeiro, o capital europeu está preso naquilo que está agora se tornando um ativo encalhado: instalações e equipamentos ociosos, muitos dos quais nunca serão reiniciados, casas não aquecidas sofrendo danos causados pela geada; cadeias logísticas que estão paralizando; e pessoas cada vez mais angustiadas e enraivecidas. Em segundo lugar, os sistemas financeiros dos EUA e da Europa estão unidos no quadril e a destruição de um não augura nada de bom para o outro. Muito provavelmente, o contágio financeiro se espalhará da Europa para os EUA, que, sendo o mais endividado e o mais habitualmente deficiente tanto nas finanças nacionais quanto na balança comercial, é o mais precário. Se o plano de Biden fosse cometer suicídio fazendo ricochete na Europa, então isso seria brilhante; se não – é exatamente tão inteligente quanto Biden é senil.

4. O último ponto é talvez o mais importante: este ataque terrorista aos oleodutos não muda nada. O Nord nStream 1 já tinha fechado devido às sanções ocidentais: as turbinas feitas pela Siemens que bombeiam gás através dela não podem mais ser mantidas. O Nord Stream2 estava pronto para ser colocado em serviço quando concluído, mas os reguladores alemães, sob pressão dos EUA, recusaram-se a dar sua aprovação. Desde então, a Rússia anunciou que encontrou melhores usos para metade do gás que estava previsto: vai fornecer serviço de gás de gasoduto para algumas de suas próprias regiões (Novgorod, Carélia) que estão actualmente em deficit, permitindo que os residentes em pequenas cidades e aldeias passem do aquecimento com lenha para o aquecimento com gás. Assim, metade da Nord Stream 2 já era redundante. Teoricamente, ainda há gás para a outra metade, que, aliás, não foi danificada pelo ataque.

Há apenas um sentido no qual este incidente é verdadeiramente importante: como uma quebra de uma certa barreira mental. Agora não há como voltar atrás; o mundo que você conhecia está agora bem e verdadeiramente acabado. A Pax Americana está morta. Ele terminou numa gigantesca pluma de gás borbulhando do fundo do Mar Báltico: um ponto (parágrafo) gigantesco no final de uma longa frase cheia de pompa e circunstância, mas, que no final, não significava nada.

Imagem de capa por Dirk Weßner sob licença CC BY-SA 2.0


Gostou desta matéria? Ajude-nos a melhorar!

O nosso trabalho tem o preço que você achar justo. Qualquer contribuição é bem vinda.

1,00 €

As ideias expressas no presente artigo / comentário / entrevista refletem as visões do/s seu/s autor/es, não correspondem necessariamente à linha editorial da GeoPol

Para mais conteúdos, siga os nossos outros canais: Youtube, Twitter, Facebook, Instagram, Telegram e VK

Autor

Dmitry Orlov
Latest posts by geopol.pt (see all)

Leave a Reply