Liz Truss pronta a lançar bombas nucleares contra a Rússia

Alfredo Jalife-Rahme

Analista geopolítico, autor e docente


A tal ponto que a decadência da globalização financeira britânica, e por extensão toda a anglosfera, chegou a desafiar ou a fazer bluff no seu caminho para o Armagedão nuclear?


Haverá sempre alguém pior na Grã-Bretanha do que a monárquica globalista neoliberal Margaret Thatcher (MT), a Dama de Ferro (sic), o mendaz de guerra Tony Blair (TB) e o bufão Boris Johnson.

Hoje a favorita para destituir a liderança do partido globalista conservador – o que faz primeira-ministra – Liz Truss (LT), 47 anos, declarou sem hesitações que estava pronta a carregar no botão nuclear contra a Rússia, lançando mísseis nucleares dos seus quatro submarinos Trident (bit.ly/3AP7P4j), mesmo que isso significasse aniquilação global (bit.ly/3Th7SgB).

LT é a soma da belicosidade de todas as antigas estreias britânicas desde MT! Por que cânone celestial a belicosa LT tem o direito unilateral de aniquilar a vida de todas as espécies de criação na biosfera, desde que prevaleça a agenda Global Britain (bit.ly/3AueYp7)?

Até o jornal globalista The Guardian, muito próximo do mega-especulador globalista George Soros, ficou chocado com o facto de três membros do Partido Conservador terem aplaudido o apocalipse (sic) da promessa nuclear (sic) de LT (sic) (bit.ly/3TofE86). The Guardian contrasta com a primeira-ministra trabalhista da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, 42, que argumenta que o mundo está num penhasco nuclear que deve evitar a catástrofe (bit.ly/3TkEhTi), dois dias após as jeremiads nucleares de LT(bit.ly/3QYdqL6).

Desde fevereiro, as declarações violentas de LT tinham forçado a Rússia e outros – de acordo com a estatal BBC – a entrar em alerta nuclear (bbc.in/3AvenUc) quando o porta-voz do Kremlin Dmitry Peskov comentou que tais declarações eram absolutamente inaceitáveis.

O website trotskista americano WSWS – independentemente do seu preconceito ideológico – dá um relato extraordinário da belicosidade nuclear britânica, para além das estreitezas da LT, um antigo empregado da Shell com escândalos de embriaguez extramatrimonial, que declarou: Se não pararmos Putin na Ucrânia, veremos outros sob ameaça: os Bálticos, a Polónia, a Moldávia, e poderá acabar num conflito com a NATO. Na realidade, a chamada NATO não existe e constitui apenas a tríade nuclear dos Estados Unidos, Grã-Bretanha e França. O WSWS recorda que o líder do Partido Trabalhista Jeremy Corbyn tendo-se oposto à utilização do sistema de armas nucleares Trident, foi demolido pelos conservadores, apoiantes de Blair e pelos militares”, que manobraram para o expulsar e colocar no seu lugar Sir (Megasic!) Keir Starmer, que declarou estar preparado para utilizar armas nucleares (bit.ly/3KobTvy), 14 dias antes da operação militar especial da Rússia (Putin dixit) na Ucrânia.

Em junho, Ingo Gerhartz, chefe da Luftwaffe alemã, declarou a sua credibilidade persuasiva para aumentar a dissuasão nuclear, desafiando Putin: Não se meta connosco!

Hamish de Bretton-Gordon, antigo comandante do Regimento Conjunto Britânico Químico, Biológico, Radiológico e Nuclear (sic), insistiu ao The Telegraph: A Grã-Bretanha deve estar preparada para a guerra nuclear (bit.ly/3CBCrra).

A tal ponto que a decadência da globalização financeira britânica, e por extensão toda a anglosfera, chegou a desafiar ou a fazer bluff no seu caminho para o Armagedão nuclear?

Não há diferença da Global Britain – desde MT, passando por TB até LT –, quando se trata da antiquada ordem unipolar colonial da anglosfera e do seu globalismo financeiro neoliberalista prevalecente.

As jeremíadas nucleares de LT sobre a Ucrânia parecem lembrar a carnificina pírrica britânica de 1915 em Gallipoli, ou Batalha dos Dardanelles (Turquia), contra o Império Otomano e, em matéria nuclear, do célebre livro de Seymour Hersh, The Samson Option: Israel, os Estados Unidos e a Bomba, (bit.ly/3RbDlzn): Eu caio, mas outros caem comigo – uma ameaça à qual a Rússia e a China têm sido muito cautelosos, não tendo até agora comentado o niilismo nuclear de LT.

Imagem de capa por UK Government sob licença CC BY-NC-ND 2.0


Artigo traduzido do espanhol para GeoPol desde La Jornada

Gostou desta matéria? Ajude-nos a melhorar!

O nosso trabalho tem o preço que você acha justo. Qualquer contribuição é bem vinda.

1,00 €

As ideias expressas no presente artigo / comentário / entrevista refletem as visões do/s seu/s autor/es, não correspondem necessariamente à linha editorial da GeoPol

Para mais conteúdos, siga os nossos outros canais: Youtube, Twitter, Facebook, Telegram e VK

Autor

Alfredo Jalife-Rahme
Latest posts by geopol.pt (see all)

Leave a Reply